Tudo sobre desfralde

No mês passado, eu resolvi tentar desfraldar a Elis e eis que milhares de dúvidas sugiram. Fiquei totalmente insegura e depois de uma manhã com alguns escapes de xixi e a pequena chorando muito quando sentava no troninho, eu decidi adiar esse processo.
Conversei com algumas mães que compartilharam comigo a mesma necessidade de saber mais informações sobre esse assunto e então procurei orientação com uma pediatra e uma psicóloga, que atendem na Clínica Lamvie. Confira!

Segundo a Dra Bianca Cavichiollo, Pediatra da Lamvie, a partir dos dois anos a criança já tem o potencial de desfralde. Porém, isso não é um marco fixo. “Algumas crianças fazem o desfralde mais tardiamente, então se seu filho tem dois anos e não iniciou o processo, não se preocupe, pois é normal. O processo é lento e progressivo, tenha paciência. Seu filho não irá do dia para a noite sentar no pinico e fazer todas as necessidades”, explica.

Sinais que a criança está preparada para o desfralde
De acordo com a Dra Thatiana Bertoncello, Psicóloga Infantil e Psicopedagoga da Lamvie, a criança apresenta indícios de que está pronta para usar o banheiro quando verbaliza que está evacuando, se incomoda em ficar suja ou até com a própria fralda.
A Dra Bianca também conta que outros sinais de que a criança está pronta para essa etapa são: já sabe caminhar, correr e subir escadas; segura os objetos em “pinça” (com o polegar e o indicador); e já sabe seguir instruções.

Dicas da Dra. Bianca de como fazer o desfralde
1° Converse e explique tudo ao seu filho: por que tem que ir ao banheiro e usar o pinico. As crianças nessa idade já tem uma boa capacidade de compreensão e gostam de saber os porquês. Livros, vídeos e jogos ajudam muito nessa fase.
2° Incentive a criança a imitar os pais e irmãos quando eles forem ao banheiro. Crianças aprendem por semelhança, devido aos “Neurônios Espelho”.
3° Deixe-a com pouca roupa e apenas de calcinha e cueca e estimule a própria criança a retirar a fralda. Isso dá a elas uma sensação de empoderamento e também ajuda a que percebam mais fácil o xixi ou coco.
4° Sempre que ela der sinais de que quer fazer xixi ou coco leve-a ao pinico ou vaso e deixe-a sentada por alguns minutos. Mas atenção, nunca deixe mais do que 10 minutos! Se ela fizer o xixi ou coco, elogie-a, do contrário, não a reprima e não a critique.
5° Estabeleça horários para que a criança se sente no pinico ou vaso: ao acordar, após as refeições e antes de dormir. Isso gera rotina e crianças gostam de rotina.
6° Use sistemas de recompensa, por exemplo, sempre que ela fizer xixi ou coco no vaso, deixe-a colar um adesivo para enfeitar o pinico.
7° Estimule a criança a gostar do pinico, deixe-a brincar com ele se ela quiser. Uma boneca pode ajudar nisso. E deixe o pinico em um lugar visível e de fácil acesso.
Devemos também evitar algumas coisas para que o processo não se torne traumático, e sim divertido e leve:
1° Nunca reprima a criança caso ela não faça as necessidades no vaso e sim na calça ou na fralda. Isso gera um reforço negativo que não é benéfico. A criança associa o vaso a algo ruim.
2° Se ela não quiser sentar no pinico nos momentos de treinamento, não insista. Deixe- fazer outra coisa e tente novamente em alguns minutos.
3° Nunca a envergonhe, castigue ou repreenda, principalmente na frente de outras pessoas.

Saiba quando a criança não está preparada e quando adiar o desfralde
Existem alguns momentos em que o desfralde pode ser mais difícil ou se já está no processo ele volte para a estaca zero. “Situações como a chegada de um irmãozinho, a separação dos pais, uma situação aversiva que aconteceu na escola, podem ser exemplos disso”, explica a Dra Thatiana.
Para a Dra Bianca, deve-se adiar o desfralde quando notar que todas as tentativas foram feitas e a criança se mostra muito reticente e aversa. “Adie por algumas semanas e depois reinicie o treinamento. O desfralde deve ser leve e divertido e não algo estressante para a família. A criança não esta sozinha nessa tarefa. A família é parte fundamental”, finaliza.

Você também pode gostar de ler