Desidratação infantil

Desidratação é uma doença que pode ser grave resultante da perda de água, sais minerais e líquidos orgânicos. E quem mais sofre com a desidratação são os bebês, crianças pequenas e idosos.

Segundo a nutricionista Larissa Macedo da clínica infantil Lamvie, o calor excessivo, vomito, diarreia (virose) e rejeição a líquidos podem levar à desidratação.
Bebês com menos de seis meses devem ser hidratados com o leite materno. Após essa idade deve-se ofertar água em pequena quantidade e intervalos curtos.
A nutricionista orienta a observar a quantidade de líquidos perdida pelo vômito ou diarreia e oferecer a mesma quantidade de água ou soro caseiro. “O tratamento da desidratação em crianças pode ser feito em casa, sendo recomendado que a hidratação tenha início com leite materno, água, água de coco, sopa, alimentos ricos em água ou sucos para evitar que a situação se agrave. E soro de reidratação oral/caseiro se for o caso” explica Dra Larissa.
No verão, a possibilidade de desidratação aumenta, o risco do alimentos deteriorarem também. Por isso, é importante oferecer as crianças alimentos frescos para evitar e consequentemente a desidratação. Além disso, manter a criança com roupas frescas, dar banho mais vezes ao dia para refrescar. Oferecer líquidos e frutas mais vezes ajudam a manter seu filho hidratado.

Procurar ajuda médica imediatamente se perceber que:

-A urina está amarelo escuro.

-O bebê não está brincando nem se movimentando como normalmente faz.

-A boca seca demais.

-Não saem lágrimas quando chora.

-O bebê não molha a fralda há várias horas ou como de costume ou usou menos de seis fraldas nas últimas 24 horas.

Nestes casos, o pediatra deverá indicar o tratamento adequado, que pode ser feito com em casa ou soro pela veia no hospital, dependendo do grau de desidratação da criança.

*Com informações do portal Drauzio Varella.

 

Leia também: qual a quantidade de água bebês e crianças devem tomar?

Você também pode gostar de ler