Estímulos em excesso podem ser prejudiciais

Por Thays Falkembak

Proporcionar a criança a maior quantidade de estímulos e aprendizagem que conseguirmos é a nossa missão, mas isso não quer dizer que necessitamos fazer de uma só vez. Os estímulos são extremamente importantes no processo de desenvolvimento infantil, porém é necessário estarmos atentos em alguns pontos.

Um grande cuidado que devemos ter é de não “superestimular”. Isso de fato pode prejudicar o interesse da criança, trazer irritação e até frustração. Fazemos isso quando oferecemos um ambiente com muitos brinquedos disponíveis, excesso de cores e informações. Os cuidados que podemos tomar em relação ao ambiente de brinquedos é fazendo um rodízio com eles. Proporcionando à criança a possibilidade de maior exploração e ainda permite que não enjoe facilmente. Estar atento ao interesse da criança pelo objeto pode ser um sinal de que é hora de se desfazer do brinquedo. Possibilitando até um ensino sobre questões de desapego, doação e amor pelo próximo: “Aquilo que me fez tão bem, pode também fazer bem a outro”.
Falhamos também quando oferecemos atividades e brincadeiras que não se adaptam a faixa etária da criança, exigindo um raciocínio ou resolução maior do que a que ela é capaz de cumprir naquele momento. Nessa situação é indicado que se observe a criança, seu interesse, aquilo que ela já sabe para que assim possa proporcionar experiências atrativas, educativas e que traga a ela um desejo de querer aprender mais e mais. Busque brincadeiras, jogos e atividades que respeitem as fases da criança mas lembre de estar atentos aos interesses e particularidades dela. Algumas crianças se interessam mais por algum tipo de atividade específica que talvez outra criança já não apresente o mesmo. Nesses momentos um olhar atento é valioso, pois, é assim você vai conhecendo a criança, suas habilidades e tem a possibilidade de exploração e estímulos em áreas de mais destaques dela. Mas lembre, se seu filho por exemplo, gosta de pintura com giz, você não precisa oferecer somente esta experiência a ele. Incentive que ele faça aquilo que gosta mas lembre-se de sempre apresentar novas possibilidades.

 

Leia também sobre a Importância dos Estímulos Pedagógicos 0 a 6 anos

 

Você também pode gostar de ler