Importância dos Estímulos Pedagógicos 0 a 6 anos

Por Thays Falkembak

É na primeira infância que a criança tem os seus primeiros contatos com o mundo que a cerca. Tudo é novidade e um motivo para exploração e descobertas. Na fase de 0 a 3 anos, ela vivencia grandes conquistas, como: sentar, gatinhar, andar, comer, falar, aprender a brincar e ter as primeiras sensações. Entre os 3 e 6 anos a criança começa a aprender a lidar com novos sentimentos e a compreensão de conceitos de ordem se tornam mais claros. Uma criança nessa fase tem seus sentidos mais refinados e apresenta ainda mais energia para ser liberada no decorrer do dia. A forma de apresentação dos estímulos deve mudar, até porque a quantidade de tempo de concentração aumenta. Possibilitando assim uma grande exploração dos sentidos. Os mesmos estímulos usados na faixa etária anterior podem sim ser usados ainda, porém, com um grau de dificuldade maior.
A criança anseia por ensino e por si só irá buscar essas novidades e com isso aprenderá, afinal a criança está em constante desenvolvimento. Apresentar a criança novas possibilidades, que fogem daquelas que ela conseguirá alcançar sozinha, permite a ela ter mais contato com diferentes ambientes, espaços e vivenciar experiências únicas. Nosso grande objetivo deve ser: “Levar a criança a conhecer o mundo”, então proporcione o máximo de experiências possíveis a ela. Estimular exige sensibilidade, paciência e respeito. Não interrompa a criança quando ela estiver conhecendo ou experimentando, o tempo dela é diferente do nosso. Lembre-se que quando ela precisar de ajuda irá solicitar, caso contrário deixe que explore as possibilidades. Caso a ajuda seja solicitada com grande frequência, incentive a não desistir e mostre a criança o quanto ela é capaz, auxilie-a nesse processo com amor.
Todos os estímulos são bem-vindos, mesmo que às vezes aos seus olhos pareça não estar demonstrando grandes conquistas relacionadas ao que foi ensinado. E aí tem um grande segredo! Uma atividade que parece boba com o objetivo de estimular a coordenação motora por exemplo, pode parecer não estar acrescentando em muita coisa na vida do seu filho, mas tenho certeza que em algum momento você se surpreenderá em outro contexto quando ele apresentar uma habilidade ou facilidade em fazer algo que você nem ensinou. Esses estímulo podem facilitar no processo de aprendizagem da escrita ou leitura, até mesmo a fazer contas por ter recebido estímulos de raciocínio lógico. Não veja os estímulos pedagógicos como algo sem importância ou desnecessário. Use as oportunidades que tiver para fazer pelo seu filho algo que o auxiliará para sempre.

 

 

Você também pode gostar de ler