Leitura para bebês

Foto: Diego Castelo

Há especialistas que recomendam a leitura para bebês desse o ventre, durante a gestação. Aqui em casa, eu comecei a ler para a Elis depois do primeiro mês de vida.

Apesar de, naquela época, ela ainda não compreender o significado das palavras, eu via a leitura como forma de ensinar palavras diferentes e incitá-la a querer se comunicar e aprender a falar. Além disso, os bebês aprendem muito por repetição e observação. Por isso, o meu desejo de que ela, tendo essa experiência com livros desde cedo, se torne uma leitora.

O bebê é curioso, tudo quer pegar e se relacionar, então é interessante ter pelo menos algum livro que seja de tecido ou de plástico, pois podem ir à boca sem problema. Os livros de papel, recomendo os que tenham capa e páginas duras.

Conversei com a psicóloga Juliana Sandrini Maranhão para trazer uma opinião bem fundamentada sobre a importância de ler para os bebês.

Para ela, a leitura é de grande valia no que se refere ao desenvolvimento cognitivo, pois favorece a capacidade de raciocínio, interpretação, abstração, memória e vocabulário, auxiliando na autopercepção e interação social. “No caso das crianças essas habilidades, que ainda estão em processo maturacional, a leitura tem papel fundamental, servindo de estímulo e sendo assimilada conforme o período de desenvolvimento. Por exemplo, bebês que estão permeando o primeiro ano de vida: ainda não adquiriram a linguagem, portanto ainda não consegue compreender o conteúdo do que estão lendo para ele, porém começa a identificar as entonações vocais, e tenta participar, se comunicar e imitar.”

A Dra Juliana explica que esta atividade pode também facilitar no desenvolvimento da linguagem do bebê. “Após o primeiro aninho, o bebê começa a ter capacidade de atribuir significado às coisas, unindo o som (palavra) com o seu significado. A leitura irá ajudar com a formação de vocabulário, com os exemplos e princípios contidos nas histórias e com o estímulo à imaginação, permitindo que a criança crie suas próprias histórias e mundos.”

A psicóloga também pondera sobre as relações sociais. “A leitura estimula os laços afetivos entre quem está lendo e a criança, pois é um momento de interação. Isto envolve a criança e ela sente que está recebendo a atenção e o olhar do outro.”

Você também pode gostar de ler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *