Medo na gestação

A gravidez pode vir repleta de inseguranças, seja por não ter sido planejada, por ter passado por algum aborto, pela situação financeira, receio de não dar conta ou qualquer outro motivo circunstancial.

O início dessa nova gestação veio em meio ao caos que estávamos vivendo com o nosso telhado destruído pela chuva, uma fase em que passei muito nervosismo. Eu tive sangramento, muitas cólicas e um medo absurdo de ter um aborto retido novamente.
Na primeira ecografia ouvimos o coraçãozinho batendo forte e a cada novo exame ia com um pouquinho de insegurança, mas saia da clínica com o coração aliviado ao saber que estava tudo bem.
Só quem já perdeu um bebê sabe como não é fácil superar o receio de passar por tudo de novo.

No início da gravidez, descobri que o bebê que perdi no ano passado teria alguma síndrome. Mais um motivo para insegurança e medo de estar gerando uma criança que não fosse saudável.
Quando fiz o exame Morfológico do 1° trimestre foi outro alívio saber que estava tudo dentro do normal.

Acredito que toda mulher grávida do segundo filho, em algum momento, sente o receio de não dar conta de cuidar das duas crianças ou de não conseguir amar a segunda criança com a mesma intensidade que a primeira…
A Elis é uma menina muito doce e pensar que a segunda criança possa ser completamente diferente e com o temperamento difícil (como o meu, por exemplo), me deixa com receio de não conseguir amá-la tanto quanto amo a Elis.
Saber que as nossas vidas nunca mais serão as mesmas e que eu não terei mais o mesmo tempo para estar com a Elis e me dedicar a ela, me deixa aflita em alguns momentos.
Mas sutilmente Deus tem me mostrado que eu preciso confiar que tudo ficará bem.

É preciso não deixar que o medo nos roube a alegria desse momento que é tão especial.
O medo pode nos paralisar e ele é um sentimento que vai ao contrário da fé.
Nós seres humanos sempre nos adaptamos às situações e em especial nós mulheres temos o dom de conseguir sermos multitarefas e dar conta de tudo. Então por mais desafiador que seja cuidar em tempo integral de duas crianças pequenas, eu sei que dará tudo certo. Que embora o amor possa ser diferente entre as minhas duas filhas, eu irei amá-las com todo o meu coração.

 

 

Você também pode gostar de ler