Memórias de 2017

Foto: Diego Castelo
Foto: Diego Castelo

2017 foi um ano muito intenso e só hoje (31/12), parei para refletir sobre tudo o que vivi.
Ser mãe presente em tempo integral tem suas delícias e desafios.
Os desafios, enquanto os vivemos, são muitas vezes difíceis, exaustivos e estressantes, como as noites em claro por que o bebê passou mal ou por que acordou de hora em hora com dor do nascimento dos dentes.
Mas quando olho para trás, as primeiras e mais memoráveis lembranças, são as dos sorrisos espontâneos, das descobertas inesperadas, dos pequenos gestos que eu nem sonhava que a Elis faria naquele momento.
Lembro-me de como ela começou a se locomover, ela engatinhava como um soldado arrastejando.
De quando aprendeu a fazer tchau, bater palminhas e fazer o número um com o dedinho.
Das primeiras vezes que ela nos beijou espontaneamente.
De quando ela nos surpreendeu pronunciando corretamente a palavra água.
Dos passinhos ligeiros e desengonçados.
Das muitas vezes em que brincou de se esconder entre as mãozinhas ou atrás das cortinas.
De todas as vezes que a chamei e ela saiu correndo, só para eu correr também atrás dela.
Por fim, lembro-me dela nos pegando pela mão e direcionando a atenção a ela e a algo que ela queria fazer, como por exemplo, ir brincar no quintal.
São tantas lembranças boas que me faltam palavras para descrever tanta gratidão que tenho a Deus.
Refletindo sobre ter deixado a minha vida profissional de lado para cuidar da pequena, vejo a generosidade de Deus, em ter o meu marido me apoiando nessa decisão e em prover tantas parcerias que nos abençoaram com muito mais do que mimos para Elis. Cada um de nossos parceiros, me ajudou a ficar um pouco mais com a baixinha e principalmente a oportunizar experiências, confortos e brincadeiras que eu provavelmente não poderia dar a ela por falta de recursos financeiros.
Minha gratidão também por Deus abrir as portas para que eu tivesse o meu próprio blog e poder voltar a exercer um pouco da profissão que decidi ter quando entrei na universidade do curso de jornalismo há quinze anos.
2017 também foi um ano de renúncias, estive longe, muito longe de ver o mar e recarregar as minhas energias da forma que mais me sinto plena. Deixei de lado também muitas mordomias em prol de estar cumprindo o meu atual propósito de vida. Mas quer saber, creio e confio que Deus nos abençoará abundantemente em 2018. Tenho em meu coração que será um ano ainda mais memorável e glorioso.

Você também pode gostar de ler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *